Viagem Peru/Bolívia 2012 – Dia 13 – 18/12/2012

Dia 13 – 18/12/2012 – Cusco-PE a Puquio-PE (510km)

Mapa

Resumindo este dia, começou muito agradável e terminou de forma muito complicada.

Saí do hostal às 7:30h, depois de pegar a moto no estacionamento e arrumar toda a bagagem. Estava a seis dias sem pilotar minha Lis, estava com saudade.

Na saída da cidade, que diga-se de passagem é bem complicada (principalmente sem GPS), abasteci a moto e segui rumo a Abancay-PE.

Após os primeiros 40km passei pela primeira chuva do dia, mas foi passageira.

As estradas (PE-3S e PE-30A) durante o dia eram bem acidentadas e às vezes com grandes desníveis de altitude. Outra característica era a presença constante de animais ao lado e atravessando a pista.

DSC50999

DSC51013

Chegando a cidade de Abancay-PE às 11:37h, fiz o segundo abastecimento do dia e ainda restavam 450km até Nazca-PE, meu destino desejado para o fim do dia.

DSC51034

O clima estava agradável e as paisagens ao lado eram muito bonitas.

Em Chalhuanca-PE, avistei um restaurante e almocei um prato quase típico brasileiro, arroz, batata frita, tomate e bife. Só faltou o feijão para completar. O almoço estava muito bom e de cortesia uma “chicha morada”.

Ao pagar a conta, o filho da dona do restaurante pediu que eu assinasse um caderno para ele, foi engraçada e inusitada a situação. Eram 14:20h da tarde.

Andei mais alguns metros e parei para abastecer. Enquanto esperava um senhor me alertou, dizendo que lá em cima era muito frio (apontando para o meu caminho). Aproveitando que estava com mau tempo para frente, coloquei a capa de chuva.

Na “subida”  antes de chegar a Iscahuaca-PE, tirei a capa de chuva porque estava ficando frio e coloquei a jaqueta de motoqueiro.

DSC51071 DSC51085 DSC51088

Depois de Pampamarca-PE a coisa começou a ficar muito feia, o horizonte estava todo fechado de chuva e aos poucos fui entrando numa fria.

Notei que a chuva não caía na vertical, e sim na horizontal. Aos poucos os pingos d’água começaram a virar gelo na viseira. Como minha luva estava ensopada de água, as pontas dos meus dedos simplesmente congelaram. Fiquei apavorado, parecia um filme de terror e ainda faltavam 240km para Nazca-PE.

Parei a moto e um caminhoneiro me informou que havia um povoado a 3km dali, logo depois do cruzamento da rodovia PE-30A (que estava) com a PE-30B.

DSC51095

No povoado parei para ver se tinham um abrigo para passar a noite por ali mesmo, eram 16:15h da tarde e o tempo ainda parecia não estar bem adiante.

Enquanto esperava por alguém me atender, começou a cair neve e a água que escorria pelas telhas congelava antes de cair. Era uma cena de horror para um brasileiro, acostumado com o clima tropical.

DSC51096

Uma menina me atendeu e disse para ir ao outro lado da rodovia, pois ali talvez pudesse me abrigar.

Um senhor me atendeu e disse que não tinha como me abrigar. Deu-me algumas informações importantes como a distância das próximas opções. Poderia voltar 15km até Pampamarca-PE, seguir mais 15km até o próximo povoado (Negro Mayo-PE) ou seguir 90km até Puquio-PE.

Quando estava saindo um motoqueiro americano e outro casal apareceram. Eu estava tão preocupado com a situação, que nem dei muita atenção. Só queria saber como estava para frente, eles não me ajudaram muito. A princípio estava do mesmo jeito.

Resolvi arriscar minha mão, segui os 15km até o próximo povoado. Parei a frente da casa de uma senhora que talvez tivesse um quarto. Infelizmente ela não pode me ajudar. Bem, faltavam 75km até Puquio-PE a única alternativa era seguir.

Meu maior erro nesta história toda foram as luvas (e a falta de protetor de mão). Com a temperatura baixíssima (provavelmente abaixo de zero) e com a luva molhada, não conseguia proteger a principalmente a ponta dos dedos, que estavam praticamente congelados.

Como estava pior com as luvas, tirei a luva da mão esquerda e acelerei a moto para tentar chegar o mais rápido possível à Puquio-PE. Meu maior medo era que no asfalto em algum ponto, formasse uma camada de gelo e seria um grande problema.

DSC51100

Nunca o hodômetro da moto demorou tanto a rodar, cada 100m era uma novela.

Estava muito frio, chuviscava um pouco e de repente nos últimos 20km uma neblina muito densa.

Parei duas vezes  para tentar descongelar os dedos, era uma grande angústia. Pensava que os perderia.

DSC51104

Finalmente às 18:15h chequei a Puquio-PE e encontrei um hotel (Hostal Los Andes / Jr. 9 de Deciembre,  286). Na recepção um senhor muito gentil (que deveria ser um anjo) me serviu um chá quente que me ajudou a aquecer um pouco.

Tomei um banho bem quente (um dos melhores da viagem) e me abriguei bem. As pontas dos dedos ainda não estavam muito bem, vamos ver se melhora. Sai para jantar e fiquei quietinho na cama.

Olhando o mapa percebi o tamanho do problema, estava percorrendo uma região que variava de 3500 a 4500m sobre o nível do mar, por isso neve!!!

 

GASTOS NO DIA – S/.205,00 (R$177,49)
S/. 80,00 – Estacionamento 7xDiárias (Cusco-PE) (R$ 69,26)
S/. 25,00 – Combustível DL650 V-Strom (41856km – 2,070G – S./-G 12,08) Cusco-PE (R$ 21,65)
S/. 32,00 – Combustível DL650 V-Strom (42049km – 2,443G – S./-G 13,10) Abancay-PE (R$ 27,71)
S/. 14,00 – Almoço Chalhuanca-PE (R$ 12,12)
S/. 20,0, – Combustível DL650 V-Strom (42174km – 1,566G – S./-G 12,80) Chalhuanca-PE (R$ 17,32)
S/. 30,00 – Hotel Puquio-PE (R$ 25,97)
S/. 4,00 – Jantar (R$ 3,46)

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s